Núcleo de User Experience

Posts Tagged ‘planejamento

Aproveitando o ensejo do último post, resolvemos juntar num só lugar várias referências pesquisadas ao longo dos estudos sobre nossos amigos formulários. =) Tem coisa nova, tem coisa não tão nova assim (mas, que ainda faz sentido), tem um pouco de tudo, um começo para quem está confuso na hora de projetar campos, mensagens de erro, feedback, dicas de preenchimento, fluxo…

No blog de Luke Wroblewski, um post sobre perguntas excludentes. E um pouco mais sobre o livro que deu origem ao post anterior.

A smashingmagazine publicou dois (parte 1 e parte 2) posts sobre padrões em formulários de criação de conta. São resultado de uma pesquisa com 100 sites cujo sucesso depende do preenchimento do famigerado. São abordados, entre outras coisas, posicionamento na página, layout, alinhamento de rótulos e campos, melhor rótulo para o link, mensagens de erro e tooltips.

Encontramos também considerações de um estudo de eyetracking em CXPartners. E uma proposta ousada de sign up e log in em um passo único, sem distinção entre os dois “tipos de usuários”.

Para quem trabalha com mobile… formulários em dispositivos móveis na smashingmagazine.

O ponto de vista da Google, relacionando o desenho de formulários com taxa de conversão.

Inspire-se com alguns patterns em PatternTap.

O Nux espera ter sido útil, objetivo e simples o suficiente com esse post, assim como nós esperamos que os formulários sejam! 😉

Anúncios

personas

A sala treze do oitavo andar estava em silêncio. Era ocupada por umas 3 ou 4 pessoas, todas compenetradas. Ronaldo fez Publicidade na USP.  Alemão é psicólogo de formação na UFPE, junto de Karina que é designer pelo SENAC em São Paulo. Todos falam como se fossem outras pessoas e agem como essas pessoas deveriam agir orientadas por um moderador.

Não, seu nerd. Isso não é uma partida de RGP e bem poderia ser. É um ensaio de contexto de uso para o estudo de personas, uma das técnicas aplicadas na fase inicial de qualquer projeto que valorize o design centrado no usuário. Mas já é possível imaginar porque você pensou isso. Uma partida de RPG começa com o narrador descrevendo um cenário. Todas as suas ações são baseadas em personagens com características preenchidas através de uma ficha como: destreza, carisma, inteligência… O prelúdio é o ponto inicial da sua jornada, de onde partem os princípios e objetivos que o personagem deseja cumprir. No live os personagens interagem entre si seguindo perfis pré-estabelecidos.

Embora o termo Personas derive da palavra latina para a máscara usada por atores na época clássica, essa técnica não é concebida unicamente em representação de papéis. Do contrário de um teatro, onde os atores recebem um script com o conjunto de suas ações, gestos e falas, as personas não seguem um roteiro premeditado e o aproximam-se mais de um trabalho incremental. A definição de personas é alterada gradativamente, e quanto mais você conhece o usuário, mais condições de aperfeiçoar a sua “personalidade”  você tem. Os dados demográficos ajudam bastante e antes de traçar qualquer perfil, portanto, certifique-se que o seu conhecimento é fundamentado.

A mecânica do estudo de personas baseia-se na construção de um personagem fictício que representa grupos de usuário do sistema. A premissa básica se traduz em auxiliar as decisões do projeto focando a atenção em humanidade e diversidade. O objetivo dessa técnica é mapear os principais comportamentos de uso e necessidades associadas a um padrão.

Construindo as personas você pode aperfeiçar a sua idéia de cenário e contexto, planejar ações, pensar no fluxograma operacional e dar credibilidade às estratégias de Arquitetura de Informação. O valor da metáfora das personas irá se refletir no seu dia a dia quando os envolvidos no projeto estiverem cientes para que tipo de padrão de comportamento estão construindo a interface, melhorando a comunicação e facilitando a argumentação na hora de tomar decisões. Ex: “ Vocês lembram do estudo de personas que fizemos? Pois é, a Fernanda, que é usuária do produto X, pensa assim, então ela não iria utilizar dessa funcionalidade”.

Atenção: personas são reflexo principalmente de dados quantitativos, que depois de bem desenvolvidos ajudam a manter uma visão qualitativa a fim de construir um perfil mais próximo do real.

Cabe-nos agora, a audácia de deixar um exemplo de “ficha” para vocês se encaminharem ao tio da “xerox” nesse divertido role-playing-game:

personasFonte: Graffletopia – Luis Hernandes.


Anúncios

NUX no Flickr

Twitter: Siga-nux